Publicidade

Devido às reclamações que a Agência de Proteção e Direito do Consumidor (Procon/JF) tem recebido sobre auxílio emergencial, sejam porque o cidadão não conseguiu o benefício, teve dúvidas a respeito do cadastro, ou quer denunciar eventuais irregularidades, o Procon/JF orienta a população onde conseguir informações seguras e de fácil acesso.

O auxílio emergencial é benefício financeiro do Governo federal, destinado a trabalhadores informais, autônomos, desempregados e microempreendedores individuais (MEI) afetados pela pandemia (covid-19), no valor de R$ 600, pagos por três meses até para duas pessoas da mesma família, ou R$ 1.200, quitados mensalmente para famílias onde a mulher é a única provedora da casa. Portanto, por não se tratar de relação de consumo, o Procon não tem autonomia para resolver qualquer situação relacionada a este tema.

A orientação dada através do superintendente do Procon/JF, Eduardo Schröder, é de que o cidadão entre em contato com a Caixa Econômica Federal, pelo telefone 111, destinado a informações, ou no aplicativo de celular desta mesma agência bancária, o “Caixa Tem”: “Ele pode solicitar a correção de dados no site, caso o auxílio tenha sido negado, pois o mesmo leva em consideração se a pessoa é funcionária pública ou não, se está recebendo algum outro benefício ou não, se está cadastrada no Cadúnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal) ou não, e a população pode contestar a resposta recebida pelo próprio aplicativo, caso não tenha sido satisfatória”.

Nos casos em que o cidadão não concordar com a resposta desta contestação, poderá utilizar o site da Ouvidoria do Governo Brasileiro, “Fala.BR”, cadastrar-se e selecionar o encaminhamento do pedido ao Dataprev, que é a Empresa de Tecnologia e Informação da Previdência, vinculada ao Ministério da Economia, responsável pela gestão da Base de Dados Sociais Brasileira.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui