Publicidade

Dia 27 de maio, os fiscais de postura da Semaur também interditaram a unidade da Havan Juiz de Fora em virtude do descumprimento do decreto, cujas normas seguem em consonância com o Programa Minas Consciente. De acordo com a Semaur, a loja possui o registro de 14 atividades econômicas, mas a principal e as secundárias entravam em conflito com o decreto.

Após muito Imbróglio com a PJF e o pedido de reabertura negado na 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias Municipais da Comarca de Juiz de Fora, no início deste mês. O desembargador Moacyr Lobato de Campos Filho, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), deu como favorável na última sexta feira (19), o retorno das atividades da loja Havan em Juiz de Fora-MG.

No recurso, a Havan afirmou que foi surpreendida com a interdição notificada pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), e também salientou que existem outros estabelecimentos comerciais com venda de mais produtos, que seguem em atividade, o que geraria concorrência desleal.

A Prefeitura Municipal de Juiz de Fora aguarda o despacho para se manifestar.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui