Publicidade

O prefeito Antônio Almas recebeu na terça-feira, 9, representantes da empresa britânica Oxis Energy e da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge), que confirmaram a instalação da primeira fábrica de células de bateria de lítio-enxofre do mundo em Juiz de Fora. Estiveram presentes na reunião o secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Agropecuária (Sedeta) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), Lúcio Sá Fortes; o gerente de Fomento à Economia Local, Luiz Alberto Rodrigues; o assessor da Sedeta, Manoel Barbosa Leite Neto; e os gerentes da Oxis Energy na América Latina, Enzo Pasquali; de engenharia da Codemge, Dimas José Álvares; e de Unidade de Negócios da Codemge, Rodrigo Montnegro Mesquita.

O início das operações da “Oxis Brasil”, fruto de parceria da Companhia com a Oxis Energy, está previso para 2023. A adequação de galpão de 20 mil metros quadrados, no Parque Industrial da Mercedes-Benz, que sediará a fábrica, terá início imediato, com investimentos iniciais de US$ 56 milhões (cerca de R$ 245 milhões). Para a primeira fase está prevista a geração de cerca de cem empregos diretos, chegando a 400 postos nos próximos anos.

Segundo a empresa, a “Fase 1” permitirá a produção de cinco milhões de células de enxofre de lítio (Li-S) por ano, com opção de estender e dobrar a capacidade. “Isso criará centenas de empregos, principalmente de alta qualificação, nos próximos dez anos, com a Oxis tendo acesso à experiência e inovação de estudantes nas respeitáveis universidades de Juiz de Fora”, afirmou a empresa, em nota.

Fundada em 2005, a Oxis está envolvida no design e desenvolvimento, e segue em direção à produção comercial das células de lítio-enxofre, componentes das baterias, como as utilizadas em veículos elétricos, para atender indústrias de defesa e aeroespacial – tripulados ou não. A intenção, segundo a empresa, é de que, dentro de cinco anos, a fábrica seja centro de excelência, produzindo células e sistemas de baterias e de baterias de enxofre de lítio, de classe mundial.

Publicidade

Juiz de Fora foi escolhida, principalmente, por sua posição geográfica e facilidades logísticas: a três horas de distância das capitais mineira e carioca; acesso à linha férrea e ao porto do Rio de Janeiro; e proximidade de entreposto que simplifica trâmites alfandegários, além de contar com boas escolas e universidades, mão de obra especializada e ampla rede de serviços.

Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui