Publicidade

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, e o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, participaram nesta quinta-feira (25/6) da coletiva virtual sobre o enfrentamento ao coronavírus em Minas. Na ocasião, foram apresentados os dados epidemiológicos da covid-19 em Minas, que, até o momento, conta com 32.769 casos confirmados, 12.497 casos em acompanhamento, 19.466 recuperados. Foram confirmadas 806 mortes em decorrência da doença.

Segundo Carlos Eduardo Amaral, as ações implementadas pelo Governo do Estado desde o início da pandemia, juntamente com a conscientização da população, têm permitido que Minas consiga evitar, até o momento, o pico da doença, ou seja, uma explosão de casos. Conforme o gestor, é fundamental que todos, inclusive a imprensa e a sociedade, entendam que é o momento de aumentar o isolamento. “Essa ampliação do isolamento é a função e obrigação de cada cidadão e não somente do governo e prefeituras. Cada pessoa tem que entender que se tivermos o isolamento adequado, efetivamente, não teremos o pico”, reforça.

Ainda de acordo com o secretário, desde o início de março, já foram realizadas inúmeras ações em todo o Estado nas áreas de comunicação, estruturação da rede, disponibilização financeira, mobilização, compra de equipamentos, treinamento e contratação de pessoas, parcerias com várias empresas privadas, telemedicina, ampliação da capacidade de testagem e abertura de leitos. “Passados esses três meses, não tivemos uma explosão da epidemia, como ocorreu em alguns países e estados. Temos conseguido controlar e evitar esse pico até agora e, com certeza, isso ajudou a salvar vidas. Agora, que estamos subindo o número de casos, precisamos contar com a população e retornar para um isolamento mais intenso. Estamos fazendo um trabalho muito sério e não medirei esforços pela saúde dos mineiros. Estamos trabalhando inúmeras horas, sete dias por semana, e esses esforços serão mantidos para que tenhamos bons resultados e manter Minas Gerais bem”, reforça.

Ao finalizar, Amaral chama a atenção da população para a importância da vacinação contra a gripe, que está acontecendo e será encerrada no próximo dia 30. Também reforçou sobre a vacinação contra o sarampo, que será estendida até o dia 30/8, e é direcionada ao público de 20 a 49 anos. Além disso, anunciou o início do projeto Medicamentos em Casa no município de Pouso Alegre.

Publicidade

Mais transparência

Com o intuito de trazer mais transparência aos dados divulgados pela secretaria, o site institucional foi modificado e atualizado. As alterações tiveram como objetivo trazer mais comunicação e clareza nas informações disponibilizadas. “O site está mais intuitivo e fácil navegação. Todas essas modificações fazem parte de um esforço de transparência e comunicação que a SES tem feito com muita regularidade”, disse Carlos Eduardo Amaral.

Hospital de campanha

Em relação ao Hospital de Campanha, o secretário informou que está em processo de contratação a organização social que irá administrar a unidade e reforçou a ampliação de leitos em instituições hospitalares já existentes. “Hospital de campanha é uma reserva técnica para que, se em algum momento, entendermos que está aumentando o risco de descontrolar a epidemia, iremos utilizá-lo. Mas, é fundamental que todos entendam que temos um planejamento e ele inclui a ativação dos setores da saúde, dentro de um plano de contingência. A ativação de qualquer setor envolve custo, envolve risco e, para conter um aumento de custo, temos que seguir exatamente esse planejamento. Estamos focados, neste momento, na ampliação de leitos em unidades já existentes”, esclarece.

Ainda, segundo Amaral, já foram abertos aproximadamente mil leitos de UTI em todo estado. Também serão abertos leitos em hospitais da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). No Hospital Galba Veloso, por exemplo, serão instalados 200 novos leitos de enfermaria. “Além disso, as prefeituras estão recrutando unidades dentro de seus planejamentos. Para o interior do estado, estamos enviando mais de 140 respiradores para abertura de unidades de terapia intensiva, ou seja, estamos fazendo uma ampliação do contingente de leitos, de forma que tenhamos uma estrutura bem montada no Estado”, conclui.

Estruturação regional

Em relação ao cenário das regiões, Amaral reforçou que o Estado está acompanhando o que está acontecendo, identificando as dificuldades e, baseado nessa identificação, tomando as medidas corretivas, estruturadas pelos planos de contingência. “De forma geral, o Estado está socorrendo e muito atento às regiões. Caso haja alguma necessidade de assistência imediata, ela entrará em nosso sistema de regulação e, se for fundamental a transferência de pacientes, faremos para uma região que tenha leitos disponíveis”, explica.

Parceria

A SES-MG vai contar com o apoio da Polícia Militar de Minas Gerais na orientação da população em relação às ações de prevenção à covid-19. “Um apoio mais ostensivo da PM às nossas medidas de isolamento, neste momento, será muito importante. A polícia vai apoiar a saúde no sentido de orientar e conscientizar a população. Os militares em serviço darão instruções sobre uso das máscaras, aglomerações e formações de filas de forma adequada. Além disso, a PM tem a função de acompanhar e dar apoio à fiscalização municipal”, disse Carlos Eduardo Amaral.

Minas Consciente

Segundo o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, já são 157 municípios aderidos e 3,7 milhões pessoas impactadas. Todas as regiões do estado contam com municípios que aderiram ao plano. As regiões que possuem mais municípios aderidos são: Sudeste (com 48 municípios), Centro-Sul (36 municípios), Centro (20 municípios) e Noroeste (14 municípios aderidos ao programa). “Esses municípios demonstram a grande adesão que estamos tendo, pois são municípios representativos dentro de suas regiões. A tendência é que esse número cresça e que tenhamos cada vez mais representatividade do Minas Consciente no estado”, disse.

A partir de sábado (27/6), conforme decisão do Comitê de Deliberação da Covid-19 publicada hoje no Diário Oficial, a macrorregião Leste do Sul, que conta com 10 municípios, volta para a onda branca e a Centro Sul, que conta com 36 municípios aderidos ao plano, volta para onda verde. “A regressão das ondas busca justamente preservar a saúde da população. A medida que os dados epidemiológicos forem piorando e a situação for se agravando, é desejável que as ondas do programa também tenham o movimento de avanço e de regresso. Por mais que estejamos empenhados em preservar a economia, em preservar os empregos, precisamos também preservar vidas”, disse Passalio.

No balanço do Minas Consciente, na onda verde estão as macrorregiões Centro Sul, Centro, Jequitinhonha, Leste, Nordeste, Noroeste, Oeste, Sudeste, Triângulo Norte, Triângulo Sul e Vale do Aço. Na onda branca, que prevê a abertura somente de serviços essenciais, estão as macrorregiões Leste do Sul, Norte e Sul. O plano aborda uma ótica de retomada gradual, consciente, progressiva e regionalizada, embasada em critérios e dados epidemiológicos, a partir de um monitoramento constante da situação pandêmica e da capacidade assistencial.

Por Jornalismo SES-MG

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui