Publicidade

O espanhol de 58 anos foi o treinador do New York City, da Major League Soccer, dos Estados Unidos, nas últimas duas temporadas. Mas além do bom trabalho na MLS, a grande credencial do agora comandante do Flamengo é o fato de ter trabalhado por uma década como auxiliar de Pep Guardiola, com quem compartilha uma filosofia de jogo bem parecida. 

E Torrent não era qualquer auxiliar. Ele começou com o consagrado treinador no Barcelona, no comando da lendária equipe de Messi, Xavi e Iniesta. Mas quando Guardiola se mudou para o Bayern de Munique, fez questão de levar seu auxiliar. Então, após os títulos na Alemanha, a história se repetiu no Manchester City.

Torrent seguiu na Inglaterra até que resolveu encarar um novo desafio e se tornar o treinador principal do New York City, clube que faz parte do mesmo grupo que é dono dos Citizens. 

Em entrevista coletiva no dia 20 de julho, Guardiola foi perguntado sobre a possibilidade de Domènec Torrent assumir o clube campeão Brasileiro e da Libertadores no ano passado. E a resposta certamente agradou aos torcedores rubro-negros.

Publicidade
Domenec TorrentFoto: Alexander Hassenstein

“Eu acho que ele está absolutamente preparado para qualquer país. Ele fez a melhor temporada da história do New York City na última temporada. Ele é incrivelmente bem preparado, tem muita experiência. Não tenho nenhuma dúvida sobre sua capacidade”, destacou Guardiola.

“Eu aprendi muito com ele, aprendemos juntos. Parte do nosso sucesso que tivemos em Munique e aqui em Manchester foi por causa dele. Fico feliz de saber que as pessoas pensam nele neste momento estranho, da pandemia do coronavírus. As decisões que precisam ser tomadas não são fáceis, vamos ver”, completou.

Na MLS, Torrent teve duas temporadas de destaque. Na primeira, em 2018, ficou em terceiro lugar na conferência leste, garantindo um lugar na fase de playoffs (mata-mata), mas acabou sendo eliminado na primeira rodada. 

No ano seguinte, o treinador terminou em primeiro lugar no leste, naquela que foi a melhor temporada da história no New York City. Nos playoffs, terminou eliminado novamente, desta vez nas semifinais. 

Mas o que mais se destaca em Torrent é o estilo de jogo ofensivo, de toque de bola e muita intensidade, o que se assemelha com Guardiola e com Jorge Jesus. 

“Eu acredito que sim [que os dois têm uma filosofia de jogo parecida]. Ser agressivo com a bola, tentar marcar gols, defender bem… Mas cada técnico tem seus detalhes particulares, suas próprias coisas. Não é copiar e colar. Pep é Pep, Domènec é Domènec”, ressaltou. 

“Mas, antes de estarmos juntos, ele era um treinador e fazia as coisas do jeito dele. Eu aprendi muito com ele, e espero que ele tenha aprendido algo conosco também”.

Além de Torrent, a diretoria do Fla também conversou com outros treinadores que chamaram a atenção, todos estrangeiros. Portugueses como Carlos Carvalhal , Leonardo Jardim e Marco Silva foram cogitados pelos flamenguistas, assim como o espanhol Fernando Hierro.

Publicação Original: Goal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui