Publicidade

Irreverência, alegria, glamour e longa trajetória em defesa da diversidade. Durante mais de quatro décadas, o “Miss Brasil Gay”, maior concurso de transformismo do país, realizado em Juiz de Fora, colocou-se na linha de frente na luta pelo respeito e pelo orgulho LGBTQI+. Além de se consolidar como instrumento de reivindicação política e social, defendendo grupo historicamente vitimado pelo preconceito, pela exclusão e pela violência, a festa também se tornou sinônimo de estilo e cultura. Agora, parte da trajetória do evento será resgatada na mostra “Rainbow Gallery: Os Diversos Tons do Miss Brasil Gay”, que a Fundação Cultural “Alfredo Ferreira Lage” (Funalfa) lançará na segunda-feira, 10.

A mostra será disponibilizada em link, a ser divulgado durante a abertura da 4ª Semana Rainbow da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), às 20 horas, no canal do evento no youtube. A exposição virtual integra a programação da Semana, e foi organizada pela Funalfa, com curadoria dos historiadores Carine Muguet e Fabrício Fernandes. “As fotos pertencem ao setor de Memória da Dipac (Divisão de Patrimônio Cultural), composto pelo processo de registro do concurso como bem imaterial, além de acervos fotográficos cedidos por Chiquinho Mota, que criou o ´Miss Gay`, e pelo pesquisador Marcelo do Carmo. Trata-se de material muito rico, disponível para pesquisas que contribuam para a salvaguarda da memória do evento”, explicou Fabrício.

“Nossa proposta é celebrar a existência e a memória do ´Miss Brasil Gay`, pelo que ele representa para a população LGBTQIA+ e a cidade de Juiz de Fora como um todo”, complementou Carine, lembrando que o concurso foi criado em 1977 e registrado como bem imaterial de Juiz de Fora em 2007. No ano passado aconteceu a 39ª edição e, por causa da quarentena, não haverá concurso esse ano.

Também em função da covid-19, a programação da Semana Rainbow ocorrerá exclusivamente on-line, com o tema “A Comunidade LGBTTIQ+ no Enfrentamento à Pandemia e no Contexto Político e Social”.

Publicidade

Roda de conversa

Além de dividir com Carine a curadoria da “Rainbow Gallery”, o historiador Fabrício Fernandes participará da roda de conversa “Patrimônio, Memória e Tradição LGBTQIA+ em Juiz de Fora”. O bate-papo será mediado por Marcelo do Carmo e terá participação da Miss Brasil Gay 2017, Guiga Barbieri, Clóvis Casemiro (International Gay and Lesbian Travel Association – IGLTA Brasil) e Thaís Lima (Juiz de Fora Convention Bureau), com transmissão pelo canal da 4ª Semana Rainbow no youtube.

Foto: Acervo Dipac

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui