Publicidade

No domingo, 2, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) colocou equipes na rua para intervir, de forma preventiva, em ponto de concentração crescente de barracas irregulares nos fins de semana. O comércio informal, que toma a margem direita da Avenida Brasil, entre as pontes da Rua Halfeld e a “Wilson Coury Jabour Jr.” foi inibido com a presença articulada de órgãos da administração municipal.

O trabalho teve início às 4 horas da manhã, quando algumas barracas já se encontravam no local. Os ambulantes foram orientados sobre a restrição para o exercício de atividade comercial sem licença, bem como da proibição de realização de feiras e eventos que causem aglomeração durante o período de pandemia do coronavírus em Juiz de Fora. A operação na Avenida Brasil fez parte das ações conjuntas de fiscalização realizadas de quinta a domingo em horário alternativo.

Também no período da noite, nos quatro dias do fim de semana, 191 estabelecimentos comerciais receberam a visita da força-tarefa, formada pelas secretarias de Segurança Urbana e Cidadania (Sesuc), através da Guarda Municipal (GM), de Transporte e Trânsito (Settra) e de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (Semaur), com agentes de transporte e trânsito e fiscais de posturas. As diligências foram realizadas em 17 bairros da cidade, para verificação do cumprimento das normas de segurança sanitárias impostas ao comércio. A maior parte dos bares e restaurantes foi encontrada de portas fechadas. No entanto, três deles, que faziam atendimento normalmente, receberam notificação, nos bairros Costa Carvalho, Mariano Procópio e Manoel Honório. Uma interdição a estabelecimento reincidente foi efetuada no Poço Rico.

O objetivo da ação conjunta é verificar as denúncias referentes ao comércio que age à revelia da lei. A manutenção de bares fechados é medida de enfrentamento à pandemia, com vista à redução da propagação da covid-19. Apesar da reclassificação das ondas do programa “Minas Consciente”, prevista para entrar em vigor no próximo dia 6, prevalecem as restrições do Decreto Municipal 13.975 e suas alterações quanto ao comércio de bebidas alcoólicas na cidade.

Publicidade

O planejamento das ações tem origem nos relatórios de denúncias recebidas pela central da GM, através do telefone 153, bem como pela Semaur, no 3690-7507, e o canal da Ouvidoria do Município, “Fala.BR”. A ida até os locais apontados pela população acontece de forma coordenada e é antecedida de avaliação das condições de segurança para os servidores envolvidos.

Fotos: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui